Conferência 6 Meses de RGPD: Os desafios da Aplicação Prática

Partilhar

Na 4ª Feira dia 12 de Dezembro de 2018 a Católica Lisbon levou a cabo uma iniciativa alusiva aos 6 Meses de RGPD em Portugal, e aos desafios e oportunidades por este trazidos.

Estiveram presentes palestrantes de renome tais como Filipa Calvão (Presidente da CNPD), Emilie Barrau (Director Corporate Services Expert West and South of Europe da CGI), Luis Poças (Presidente da Comissão Técnica de Conduta de Mercado da APS), Joaquim Falcão de Lima (Diretor de Marketing Brisa), Susana Mendes (CRM Coordinator BMW) e Luis Silveira Rodrigues (Vice Presidente da DECO).

Filipa Calvão (CNPD)

Partilhou alguns números destes 6 meses, 147 violações comunicadas à CNPD, entre públicas e privadas, mas mencionou que deste numero ficou um conjunto alargadíssimo de queixas de titulares de dados, que foram encaminhados para o campo devido.

Alertou que a ignorância dos responsáveis de tratamento sobre assuntos como o CIA (Confidencialidade, Integridade e Acessibilidade) que já têm mais de 20 anos, pois já constavam na lei da protecção de dados pessoais 95/46, não é imputável à CNPD.

Sublinhou que não vale a pena os Responsáveis de Tratamento (Organizações) tentarem ocultar violações de dados, pois tudo se vem a saber, normalmente a Entidade de Controlo toma conhecimento ou pelos Titulares dos Dados ou pelos Media!

Relembrou ainda que as notificações devem ser feitas até 72 horas, mesmo que ainda não tenhamos todos os dados necessários. Em caso de risco elevado os Titulares dos Dados devem também ser notificados. Ressalvou que a não notificação leva a sanção e que as Organizações devem comprovar que adoptaram as medidas técnicas e organizativas necessárias, inclusivamente deu um exemplo de uma Organização Alemã que ao ter uma violação de dados pessoais, não teve coima pois comprovou que tinha investido um valor avultado em medidas técnicas que deveriam ter sido suficientes para mitigar este risco.

Emilie Barrau (CGI)

Partilhou o desafio constante que tem na gestão dos Subcontratantes e na dificuldade que teve na gestão Worlwide.

 

Joaquim Falcão de Lima (Brisa)

Partilhou a “aventura” que a Brisa escolheu seguir, ao iniciar um processo de Consentimento de novo para os clientes do Programa Viagens e Vantagens, que era perto de meio milhão.

A razão pela qual decidiram iniciar o processo de Consentimento para toda a base dados, centrou-se na depuração da BD e na tentativa de maior aproximação dos clientes.

Esta operação foi um sucesso, através de uma operação de marketing muito criativa e sustentada conseguiram manter 94% da BD

Susana Mendes (BMW)

Partilhou também um caso de sucesso análogo ao da Brisa, em que conseguiram manter 24% da base de dados.

 

Luis Poças (APS)

As conhecidas dificuldades do sector segurador nos ramos de Saúde, Vida e Acidentes Pessoais, que estão a impedir este setor de obter informações de saúde do Titular dos Dados para medir o risco das apólices.

Como esta dificuldade poderá ser ultrapassada?

Ou por via administrativa, através da CNPD, ou por Legislação, através da lei nacional ou em ultimo caso por via Judicial.

Em conclusão, foi unânime que o RGPD trouxe mudanças, dificuldades, oportunidades e melhorias de procedimentos e segurança interna nas organizações.

Para a RB Consulting foi importante estar presente neste evento, pois reforçamos as nossas certezas que a nossa Framework de trabalho RGPD (Metodologia) está perfeitamente alinhada com a Conformidade RGPD em Portugal, e adequasse perfeitamente às necessidades das PME’s no nosso país!

Saiba mais informações sobre a FRAMEWORK RB CONSULTING

Posted by rbadmin  |  0 Comment  |  in Comunicados, Comunicados em Destaque, RGPD, RGPD Destaque

Comments are closed.